Fluxo de caixa, uma ferramenta importante para a sua empresa

Investir em materiais, reformar o prédio, repaginar a empresa ou mesmo investir em novos produtos exige sempre planejamento, pois estes processos envolvem custos e recursos preciosos.

Neste planejamento são vistas as questões de tempo, recursos humanos, fornecedores e o recurso financeiro necessário para realizar essas ações sem que haja um “apagão” no meio dela, mas são poucas as empresas que consideram o fluxo de caixa dela nessa tomada de decisão.

Do fluxo de caixa pode-se que dizer que este é um instrumento de gestão financeira que visa projetar para os períodos futuros todas as entradas e as saídas dos recursos financeiros da empresa, este visa indicar como será o saldo de caixa para o período projetado.

Gerir o recurso de caixa da empresa permite que o empreendedor e/ou gestor da empresa se programe e saiba o que esperar ao longo de um determinado período e ao passo disto elencar estratégias sobre a necessidade de tomada de empréstimos no caso de investimentos mais agressivos ou mesmo de ações emergenciais sem que isso afete a saúde da empresa.

 

 

Quando uma empresa possui controles de gestão e modelos financeiros bem organizados a organização e uso deste recurso é muito simples e a sua elaboração ainda mais fácil. Caso a sua não possua uma “política” de controle como dito anteriormente, não há problema! A sua aplicação também é fácil, mas exigirá controle e disciplina em um primeiro.

O Fluxo de Caixa deve ser considerado como uma estrutura flexível, no qual o empreendedor/gestor deve inserir informações de entradas e saídas conforme a realidade operacional da empresa, bem como de suas necessidades.

A sua montagem pode ser feita em planilhas eletrônicas, em uma folha impressa ou nos casos em que se deseja dar maior visibilidade ou gerir prazos maiores pode-se “desenhar” em superfícies maiores.

Com as informações postas corretamente no Fluxo de Caixa, será possível elaborar a estrutura gerencial de resultados, a análise de sensibilidade, pode-se também calcular a rentabilidade, a lucratividade, o ponto de equilíbrio e o prazo de retorno do investimento.

Outra vantagem e ganho em se usar o fluxo de caixa como ferramenta de gestão e estratégia está na possibilidade de verificar a saúde financeira do seu negócio e por meio de uma análise obter uma resposta clara sobre as possibilidades de sucesso do investimento e do atual estágio da empresa.

Para que possa aplicar isso é necessário observar alguns aspectos e estes são descritos a seguir.

 

Desenvolva um plano de contas para organizar as Entradas e Saídas da sua empresa

 

Apesar do fluxo de caixa apresentar o resultado financeiro com base no caixa e de forma contábil, é muito importante organizar as contas para poder desenvolver um acompanhamento organizado e categórico. O do plano de contas visa separar as entradas e as saídas de dinheiro em categorias. Sem isso, identificar e separar os recebimentos dos pagamentos, não será possível realizar as análises.

Essa divisão pode ser, por exemplo, da seguinte maneira: despesas com produtos, despesas com serviços, despesas não operacionais, despesas com RH, despesas com terceiros, despesas operacionais, despesas de marketing, impostos e investimentos. Utilizando as contas que melhor se adequem a sua empresa. Para tanto, categorize-as em:

  • Saídas monetárias: custos, despesas e investimentos;
  • Entradas monetárias: receitas com produtos, receitas com serviços e receitas não operacionais.

 

 

Faça os lançamentos financeiros

 

Após montar o plano de contas, você deve ter por rotina realizar os lançamentos das transações diárias, ou pelo período escolhido, de entrada e saída da sua empresa. Estes lançamentos são o registro das transações efetuadas, devem ser feitos de forma sucinta e objetiva; este de ser feito a partir do somatório total dos lançamentos financeiros a partir do registro das entradas ou saídas, desse modo, é possível ter um panorama geral do seu fluxo de caixa. Por exemplo, em um dia sua empresa teve 15 vendas, deve-se então registrar no fluxo de caixa a soma destas vendas.

 

Analise os lançamentos

 

Após ter feito os lançamentos financeiros é preciso analisá-los, para entender o que ocorreu e encontrar o saldo final diário ou do período escolhido. Essa atividade é feita calculando o valor das entradas, subtraindo o valor das saídas, somando-o ao saldo inicial. Com essas informações é possível que se tenha uma maior preparação financeira.

Quando se faz o fluxo de caixa usando os lançamentos do mês é possível medir o total das receitas, além do valor total de despesas do período. Para que este acompanhamento seja eficaz e usado realmente como uma ferramenta estratégica de negócio é importante registar as contas a pagar e contas a receber (lançamentos que ainda não foram pagos ou recebidos, mas que irão refletir e dependem do seu caixa); isso permite que mensure a necessidade de capital da empresa.

 

Faça a análise dos Resultados Consolidados

 

Os três tópicos anteriores citam o que precisa ser inserido no fluxo de caixa; com eles postos é preciso analisar os resultados, ou seja, o fluxo de caixa consolidado e diferentes “leituras” poderão ser tiradas deste.

O controle consolidado fornece o saldo inicial, receitas, despesas, será possível ver se a empresa teve lucro ou prejuízo no período; seja isso acumulado e/ou do mês se assim definiu.

 

A GVM possui soluções para que a sua empresa faça a comercialização de seus produtos, monitore e gerencie os seus gastos para que possa ter sempre a mão relatórios que auxiliam na montagem e leitura do fluxo de caixa. Como o controle das contas são igualmente importantes e essenciais neste processo entre em contato conosco e veja como podemos auxiliar a tua empresa neste processo.

 

Imagens

Katemangostar, macrovector, FreePik