Você sabe a importância da gestão de estoque?

Manter os estoques das empresas abastecidos e ao mesmo tempo com os produtos adequados permite que a empresas atenda ao teu cliente ao passo que se mantem economicamente saudável. Para tanto é vital que haja uma boa gestão do seu estoque e também uma análise periódica da demanda de sua empresa para garantir que tenha sempre em estoque os produtos corretos que auxiliam a impulsionar o crescimento da sua empresa 

A gestão de estoques refere-se ao controle e manutenção dos recursos materiais que podem ajudar a organização a gerar receita; logo de todo e qualquer insumo que garante a operação da empresa.

Quando essa gestão é falha ou deficiente pode levar a empresa a ter vários problemas; dentre os quais pode-se destacar a perda de produtividade, perda de dinheiro, poder de compra/negociação e indiretamente perda de confiança por parte do seu cliente.

Antes de listar as práticas relacionadas à gestão de estoque serão apresentados os erros mais comuns praticados nas empresas para que possa ver se isso não ocorre na sua empresa e, caso identifique que ocorra, saiba que é possível mudar isso.

As principais falhas cometidas na gestão de materiais nas empresas são:

 

Não conhecer e/ou perder de vista os 20% dos produtos que representam 80% da sua venda/faturamento

Pode soar estranho, mas é isso mesmo!

Em muitos nichos de negócios e empresas que existem aqueles produtos que são chamados de “carros-chefes” onde a venda destes representam 80% de sua receita total. Não os identificar e não gerir os insumos necessários para a comercialização destes trará um duro golpe na empresa. Para estes é necessário que o estoque esteja alimentado e que a produtividade se faça em torno deles, mas não esquecendo, sob nenhum aspecto, dos demais produtos comercializados na empresa.

 

Não estar atento à sazonalidade

Alguns itens tornam-se “febre” ou são específicos de uma estação do ano ou viram uma espécie de “necessidade”; este tipo de material/item é o que confere maior dificuldade em seu gerenciamento e previsibilidade – comprar o suficiente para atender a demanda e manter um estoque saudável que não onere o fluxo de caixa da empresa. Portanto é necessário monitorar estes produtos e épocas continuamente para evitar que a oportunidade na venda deste não ocorra.

 

Negociar prazos e descontos com fornecedores sem prever atrasos e reajustes

Quando uma empresa faz o pedido de compra fora do timing ou em cima da hora, cria-se um ciclo vicioso de fingimentos e principalmente de “tranquilidade”. A empresa finge que pediu a tempo e ela a tranquilidade de que este chegará em tempo; em contrapartida o industrial finge que vai entregar sob as mesmas condições que as suas.

Este tipo de falso controle não é mais permitido, pois hoje a competição tornou-se global e a um clique de distância de você.

Deter boas práticas na gestão de estoque permite que haja informações suficientes para que possa tratar com os fornecedores preços mais justos e abastecimento no tempo necessário e pedido por sua empresa.

 
Não se antecipar

Não improvise na gestão de estoque! É necessário ser analítico e corajoso para cortar custos desnecessários sempre que algo não vier a agregar valor ao negócio. Além disso, é vital manter parceiros e estratégias na operação de seu negócio para propiciar reações rápidas e estar à frente dos concorrentes.

 

Uma vez que os erros na gestão do estoque são conhecidos fica mais fácil saber o que deve ser feito para garantir a aplicação dele. Neste intuito é necessário mostrar agora como o seu estoque físico está associado com a sua empresa, especificamente ao financeiro dela.

  

Controle de estoque físico e financeiro

 

Quando uma empresa implementa um processo de gestão no controle físico e financeiro de estoque tem por objetivo básico informar a quantidade disponível de cada item existente na empresa, seja matéria-prima, seja mercadoria, e quanto essa quantidade significa em valores monetários (preço de compra) e futuramente usar essas informações para que possa apurar o ciclo médio de venda.

É sabido que controlar as entradas e especialmente o consumo de materiais é uma das funções mais básicas existentes na empresa. No entanto, essa função não é menos importante que as demais. Essa afirmação se dá pelo fato que os materiais/insumos representam cerca de 60% dos custos de um negócio.

O estoque de alguns produtos, por exemplo, pode ter sido adquirido em uma quantidade muito acima da necessária, logo, significa um capital que foi empregado e este está parado aguardando que este produto seja vendido e este valor volte a estar disponível para novos investimentos. Quanto mais tempo levar, maior será o prejuízo da empresa. Haja vista que a falta de gestão tem como consequência, também, a parada na produção ou nas vendas pela falta de materiais ou mercadorias. Isso afetará o poder de barganha e porá a empresa em desvantagem frente aos concorrentes

Este controle de estoque tem três etapas a serem cumpridas. Sendo elas:

 

  1. Registrar a quantidade existente de um produto, o seu custo unitário (preço de compra) e o custo total das mercadorias/produtos vendidos.
  2. Periodicamente realizar a conferência física para confirmar se o saldo apurado no Controle de Estoque "bate" com o estoque físico existente na empresa.
  3. Calcular no Controle de Estoque o saldo em quantidade, custo unitário e custo total das mercadorias/produtos que ficaram em estoque.

 Como pode ser visto é algo simples, mas requer tempo e comprometimento no processo de gerência/manutenção dos estoques.

Vale reforçar que uma das consequências da falta de controle está em não ser possível checar se o consumo efetivo dos materiais está de acordo com a realidade da necessidade. Em decorrência disto não se é capaz de conhecer o consumo médio dos materiais o que dificulta a compra destes materiais e definir a necessidade de capital de giro da empresa. Portanto, aplicar somente aquilo que precisa.

 

Boas práticas no gerenciamento de estoque

 

Dentre este processo de manutenção de estoque podemos destacar algumas práticas que corroboram neste processo de gestão dos estoques:

  • Todas as entradas e saídas devem ser anotadas/registradas;
  • Qualquer saída feita no estoque (venda, produção, transferência, troca, devolução, etc.) deve ser acompanhada de uma requisição;
  • Não permitir que sejam retiradas mercadorias ou materiais sem a devida requisição e com a identificação de quem retirou;
  • Implantar o "Inventário Rotativo" neste modelo de contagem, diariamente são escolhidos alguns itens para serem contados. As diferenças apuradas deverão ser comunicadas, registradas e sua causa investigada;
  • Todo processo de movimentação de estoque deve ser estabelecido por meio das Normas de Entrada e Saída de Estoque. Com informações estatísticas sobre o que está saindo, o gestor pode calcular o giro das mercadorias/materiais, auxiliando na compra para melhor aproveitamento do capital de giro da empresa.

 Gostou do que leu e quer melhorar a gestão do estoque da sua empresa? Saiba que a GVM possui soluções que ajudam no processo de gestão de estoques auxiliando na automação deste.

Entre em contato conosco e saiba mais.

 

 

Fontes

Sebrae , SebraeGuia do empreendedorlogística descomplicada

 Imagens

vectorpocketiconicbestiaryosaba